Elaborar um roteiro em Israel de norte a sul não é tão difícil quanto parece. Até porque o país é menor que Sergipe, o menor estado brasileiro em extensão territorial. Para te dar uma noção, em apenas seis horas de carro é possível cruzar Israel de norte a sul!

Como a melhor maneira de entender geograficamente um destino é olhando o mapa, coloquei abaixo o atual mapa político de Israel. A zona em lilás é o território conflituoso, a famosa Cisjordânia. Eu viajei pelas estradas da Cisjordânia, fui até a fronteira com a Jordânia e, cá entre nós, não é todo esse perigo que lemos nos jornais.

Foto: Guia Geográfico

Para aproveitar o melhor do país em 10 dias, elaborei um roteiro que começa em Tel Aviv, segue caminho para o norte e termina no sul de Israel. E fique tranquilo, porque dá para conhecer tudo sem correr riscos quanto a sua segurança.

O ideal para poder percorrer várias cidades em Israel é alugar um carro. Assim, você terá mais autonomia. Caso não saiba falar ou ler hebraico, o inglês é bem aceito. Tanto que todas as placas no país são escritas nos dois idiomas.

Tel Aviv – 2 noites

Saudada como “a capital cool do mediterrâneo” pelo New York Times, Tel Aviv está entre as “10 cidades mais agitadas do mundo” no guia Lonely Planet. Tantos títulos para uma cidade que não para, repleta de diversão.

Fundada em 1909 por 66 famílias, Tel Aviv é a face moderna de Israel, onde se concentra a vida noturna, agito e juventude. Por isso, reserve, no mínimo, duas noites para as belas praias, andar de bicicleta pela orla e curtir a cidade.

São 5,5km de calçadão onde encontram-se vários bares e restaurantes à beira mar. A noite os moradores costumam passear com seus cachorros e praticar atividades físicas na areia. Tive a impressão de estar no Rio de Janeiro, quando, na verdade, estava em Tel Aviv.

A orla de Tel Aviv é repleta de bares e restaurantes.
Um dos melhores passeios em Tel Aviv é andar de bicicleta no pôr do sol.

Haifa – 1 noite

Localizada a 92km de Tel Aviv, pouco mais de 1 hora de carro, Haifa é a terceira maior cidade Israel. A atração principal é o Jardim Bahaista, que abriga o Santuário de Bab. Um jardim vertical que é lindo olhando tanto de cima para baixo, quanto ao contrário. Para entrar nele é preciso estar com vestimentas adequadas, com ombros e joelhos cobertos.

Situada na Colônia Alemã, a rua Ben-Gurion é cheia de edifícios dos templários, muitos deles hoje transformados em bares, restaurantes ou hotéis. A vida noturna é agitada por ali. Outro lugar que está ficando popular para curtir a noite é o Porto.

Para quem gosta de museus, a cidade está cheia. Desde arte japonesa, ciência, arte moderna, história marítima, até história naval. Bons lugares para comer são facilmente encontrados nas ruelas da parte árabe do Uádi Nisnas e bairro do Carmelo.

Jardim Bahaista em Haifa.

Tiberíades – 2 noites

É a cidade base para explorar o Mar da Galileia (que na verdade é um lago) e região.  Suas principais atrações são: as fontes térmicas de Tiberíades conhecidas desde a antiguidade, os túmulos de vários rabinos e sábios judeus; locais históricos, entre eles Tel Rakat e Ein Kotzer, prédios e torres dos períodos romano e cruzado, além de uma antiga casa de banhos romana.

A cidade em si não tem tanto o que ver. Entretanto, serve de base para explorar a região, que é muito citada na bíblia. O Mar da Galileia, por exemplo, é onde Jesus Cristo caminhou sobre as águas. O Monte das Bem-Aventuranças, outro importante local bíblico, fica a 15km.

Há ainda outros locais bíblicos importantes que valem a visita, como Caná, Nazaré e Monte Tabor. Ficar duas noites em Tiberíades é ideal para conhecer todos esses lugares. E ver com os próprios olhos aquilo que antes só escutávamos falar.

O mar da galileia na verdade é um lago.

Mar morto – 1 noite

O icónico mar morto é o lugar mais baixo da terra, a 414 metros abaixo do nível do mar. Com seus 3 milhões de anos de idade, o mar morto é considerado uma das maravilhas naturais do mundo. Ele possui 33% de salinidade, nível dez vezes maior que dos oceanos, o que inviabiliza a vida, por isso foi nomeado dessa forma.

Ao seu redor existem vários resorts. O que eu fiquei tinha três piscinas: duas de água doce, sendo uma coberta e a outra não, e uma de água salgada do mar morto. O sistema era café da manhã e jantar incluído já no valor da diária, que não era tão barata. Uma curiosidade é que o mar morto fica em uma área desértica. E por lá até encontrei um McDonald’s, mundo muito globalizado, não é mesmo?

E preste muita atenção ao se banhar porque você não pode pular de cabeça ou molhar seu rosto no mar morto. Caso a água entre em contato com seus olhos ou caso você a beba, deve ir direto para o hospital! A água é extremamente salgada e pode fazer mal para nós.

Jerusalém – 4 noites

A capital de Israel merece quatro noites porque tanto a cidade, quanto a região, estão repletos de lugares fantásticos que devem ser visitados. Clicando aqui você acessa o post sobre os lugares sagrados de Jerusalém. Só para visitá-los você precisará de um dia completo.  Abaixo você confere o vídeo que gravei enquanto estava por lá. E a propósito, você já se inscreveu no canal de As viagens de Trintim no Youtube?

Para conhecer a região de Jerusalém, separe dois dias: um para ir a Jericó (a cidade mais antiga do mundo) e Ein Karem. Outro para ir a Belém (onde Jesus Cristo nasceu), e Emaús. Todos locais bíblicos e sagrados para cristãos.

Um detalhe importante é que judeus não podem entrar em Jericó e Belém. Ambas cidades estão sob domínio da Palestina. Inclusive, na entrada de Belém existe um muro que cerca a cidade. Há também uma placa que diz que cidadãos israelenses são proibidos por lá.

Entrada de Belém, placa no lado esquerdo informando a proibição.

Israel de norte a sul tem tantos lugares incríveis para conhecer. Queria tanto poder transmitir toda a emoção que senti por lá. Ao contrário do que muita gente pode pensar, Israel é um dos melhores destinos para turismo no mundo. Repleto de história, vida noturna e praias maravilhosas.

Outros posts sobre Israel:

O que você precisa saber sobre Israel antes de ir

Os lugares sagrados de Jerusalém que valem a pena conhecer

4 COMENTÁRIOS

  1. Amanda,
    É possivel, para quem não aluga carro, percorrer essas cidades de transporte público?
    Aliás, você chegou a andar de transporte público por lá? É tranquilo para uma viajante solo?
    Bjo

    • Oi Adriana! Então, existem os ônibus de longa distâncias, operados pela Egged. A passagem você paga diretamente ao motorista quando embarcar. Outra opção são as excursões, que você viaja em grupo pelo país.
      Quanto ao transporte público, eu usei muito o tram em Jerusalém. Uma espécie de metrô por superfície, que custava 5,90 shekelim (moeda local).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here