Você já ouviu falar em hygge? Até o início de 2017 eu também não sabia o que era ficar hygge, como se pronunciava ou que significava. Até que um belo dia estava na livraria comprando um livro para a faculdade e me deparei com “O Segredo da Dinamarca”, de Helen Russell. Estava em promoção, custava R$19,90. Já fiquei interessada. A capa era bonita e a descrição me agradou. Resolvi levar também.

Leia mais: 10 livros para inspirar suas próximas viagens

Foi só um mês depois que eu resolvi dar uma chance ao livro e, finalmente, lê-lo. E aí eu fiquei encantada. Simplesmente não conseguia parar a leitura! O livro me motivou a buscar informações sobre a Dinamarca, um país que nunca pensei em visitar, mas que agora figura entre os dez primeiros da minha lista de destinos desejados.

Fiquei tão curiosa para entender o que é hygge que recentemente adquiri outro livro sobre o tema: “The little book of hygge”, de Meik Wiking.  Não há tradução desse para português, portanto, quem se interessar pelo assunto terá que o ler em inglês. Além de toda essa leitura, eu conversei com uma amiga que já morou na Dinamarca e assisti vários vídeos no YouTube para entender melhor essa filosofia de vida.

Os dois livros que serviram de base para esse post

Mas, qual a origem do termo hygge?

A palavra hygge apareceu escrita em dinamarquês pela primeira vez no início dos anos de 1800, mas, na verdade, hygge é de origem norueguesa. Entre 1397 e 1814, Dinamarca e Noruega eram apenas um só reino. Tanto é que até hoje em dia dinamarqueses e noruegueses conseguem entender a linguagem um do outro.

A palavra original em norueguês significa bem-estar. No entanto, hygge pode ter se originado do termo “hug”, abraçar. Interessantemente, o significado e origem de hygge muito tem a ver com a filosofia contemporânea dinamarquesa. E todos esses significados podem ser palavras para descrever o que hygge é hoje em dia.

Por que a Dinamarca é o país mais feliz do mundo?

A Dinamarca é sempre apontada, em pesquisas internacionais, como o país mais feliz do mundo. Isso se deve a vários fatores, tais como: o serviço de seguridade social, educação, saúde, equidade social, grau de confiança das pessoas umas nas outras, honestidade e hygge.

Sim, ficar hygge torna os dinamarqueses felizes. Dentro das diversas nuances que hygge pode assumir, um dos principais é lembrar-se dos prazeres simples da vida. Como acender uma vela, preparar um café para si mesmo ou aproveitar a companhia dos amigos.

Os dinamarqueses são as pessoas mais felizes do mundo de acordo com a “European Social Survey”. Mas, eles também são os que com mais frequência se encontram com seus amigos e familiares e se sentem mais calmos e pacíficos por isso. Ficar em boa companhia ou curtir o momento também é ficar hygge.

Ficar hygge é acender velas, mas também é muito mais do que apenas isso

Há quem entenda hygge de uma maneira muito simplista, associando o termo a ambientes repletos de velas. Entretanto, ficar hygge não é acender uma vela. É um conceito muito mais amplo que também inclui ter velas acessas para tornar o ambiente mais aconchegante. Dá para começar a entender?

Nenhuma receita de hygge está completa sem velas. Tanto que de acordo com a “European Candle Association” a Dinamarca consome mais vela do que qualquer outro país europeu. Em média cada dinamarquês queima quase 6kg de cera de vela por ano.

Acender velas torna o ambiente mais acolhedor, o que deixa os dinamarqueses mais felizes. A iluminação correta é um dos segredos para um lugar ficar hygge. E nisso, os dinamarqueses também são mestres, tanto é que o design das lâmpadas dinamarquesas é mundialmente conhecido.

Entretanto, há uma regra de ouro para a iluminação correta: quanto menor a temperatura da luz, mais hygge o ambiente estará. Por exemplo, o flash de uma câmera está em torno de 5.500 Kelvin (K). A luz florescente está em 5.000K. Lâmpadas incandescentes estão a 3.000K. Enquanto pôr do sol, fogueiras e velas acessas estão em torno de 1.800K. Esses sim são os ambientes perfeitos para hygge.

Foto: Pinterest, The meaning of hygge art

Hygge é uma filosofia totalmente dinamarquesa

Os dinamarqueses acreditam que hygge é unicamente dinamarquês, tanto que não pode ser traduzido para outro idioma corretamente. Mal comparando termos, hygge seria a saudade do nosso idioma português. É um sentimento universal, todo mundo sente saudades, porém, a palavra em si não tem tradução.

Apesar de outras nacionalidades terem sinônimos, hygge é uma filosofia dinamarquesa que transmite a sensação de aconchego, calor e simpatia. O que se relaciona perfeitamente com a Dinamarca, um país que passa quase metade do ano com poucas horas de luz solar. Por isso, também, os dinamarqueses buscam alternativas para se sentirem felizes.

Ficar hygge se encaixa perfeitamente com o inverno dinamarquês. Um ambiente acolhedor, iluminação correta, boa comida, bebida e a companhia de amigos é a descrição de como estar hygge. Possivelmente, hygge é ainda mais hygge se houver um elemento controlado de perigo, como uma tempestade, trovão ou filme de terror.

Os elementos para ficar hygge

De acordo com Meik Wiking, autor do “The little book of hygge” e CEO do “Happiness Research Institute”, há dez elementos que podem ser considerados manifestos do hygge:

  1. Atmosfera – iluminação correta através do uso de velas e luzes apagadas.
  2. Presença – esteja física e emocionalmente no momento, desligue os celulares para isso.
  3. Prazer – café, chocolate, biscoitos, bolos… Alimentos saborosos que estimulem o prazer.
  4. Igualdade – “nós” acima do “eu”, para isso, compartilhe as tarefas ao invés de delegar funções.
  5. Gratidão – as coisas podem ser tão boas quanto elas aparentam, seja grato.
  6. Harmonia – o encontro não é uma competição, você não precisa se gabar pelos seus feitos e menosprezar os outros.
  7. Conforto – fique confortável, faça uma pausa, relaxe.
  8. Trégua – sem drama, sem discussão política ou debate.
  9. União – construa relações e narrativas, recorde dos bons momentos que vocês passaram juntos.
  10. Abrigo – tenha em mente que essa é sua turma, que esse é seu espaço de paz e segurança.
Foto: howtohyggethebritishway

E, é possível ficar hygge no verão?

A descrição de hygge é perfeita para dias frios, para o inverno dinamarquês. Porém, engana-se quem pensa que ficar hygge é obrigatoriedade apenas do inverno. Há, sim, maneiras de ficar hygge no verão, mesmo que a estação não necessite o uso de velas ou de estar ao redor da fogueira.

Você pode estar hygge no verão ao sentar-se abaixo de uma árvore para ler. Ao convidar os amigos para um piquenique. Ao aproveitar os longos dias de sol, sair em um passeio de bicicleta ou fazer um churrasco com seus amigos. Por ser verão não significa que você não deva aproveitar. É apenas uma maneira diferente de ficar hygge quando comparado ao inverno e outono. Você também pode extrair o melhor da estação, ficar aconchegante e hygge.

Hygge para nós brasileiros

Cheguei à conclusão de que hygge é uma filosofia de vida. Como brasileira posso adaptar o pensamento dos dinamarqueses para tornar meu ambiente mais aconchegante. Posso reformular conceitos e incluir na minha rotina os hábitos que tornam os dinamarqueses as pessoas mais felizes do mundo.

Não conheço o país, entretanto, depois de ler e pesquisar tanto sobre, acho que consigo entender um pouco mais sobre os escandinavos. É verdade que a curiosidade sempre me motiva a ir em busca do novo, e aprender sobre hygge foi assim. O interesse por essa filosofia me motivou a estudar sobre quem são os dinamarqueses, apesar de eu nunca ter conversado com nenhum deles em toda a minha vida. Irônico, não é?

Aqueles que conhecem mais sobre a cultura dinamarquesa podem me corrigir caso eu tenha passado alguma informação equivocada. Afinal, assim como viajar, escrever também é transmitir conhecimentos, mas, acima de tudo, aprender muito com o novo.

Por último, o detalhe mais importante de todos: pronuncia-se hoo-ga.

Imagem destacada: Pixabay

4 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom o post Amanda, com certeza podemos aplicar a filosofia do hygge nas nossas vidas pra sermos mais felizes né?! Adorei e amei a indicação do livro no outro post, agora já tô querendo esse em inglês que indicou aqui…rs
    Abraços, Melissa (blog: Listas de Viagem)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here