Recentemente uma conhecida minha foi passar a lua de mel na Disney. Critiquei a viagem com todo mundo porque, para mim, Disney não deveria ser um lugar para passar a lua mel.

O problema de passar a lua de mel na Disney

Não acho que conhecer Orlando ou aproveitar os parques de diversões seja o tipo de viagem ideal para se fazer na lua de mel. Viagem pós casamento, para mim, é aquele tipo de viagem para aproveitar a dois. Fazer passeios românticos, jantar à luz de velas e aproveitar a companhia um do outro.

Tudo bem que o casal até pode fazer isso tudo na Disney. Mas cá entre nós, sempre pensei que o complexo em Orlando passasse a impressão de ser bom receptor àqueles que viajam em família, com amigos ou em busca de diversão. Achava que a Disney não passa muito a ideia de “um lugar romântico”, mesmo sendo o local “where dreams come true” (onde os sonhos se realizam).

A crítica a viagem alheia

Foi censurando a viagem dessa minha conhecida que eu percebi uma coisa: nós temos a mania de sempre criticar as atitudes alheias. Pior ainda, definimos estereótipos para as viagens dos outros. E quando eu digo nós, me incluo nesse meio porque eu também faço isso.

Qual o problema de querer ir passar a lua de mel na Disney? Não sou eu quem escolhi. Não foi eu quem foi. Se fosse minha viagem escolheria outro destino, mas como não é, o que me resta é apenas desejar a felicidade do casal independentemente da escolha do destino de lua de mel.

Foto: Flickr – marcada para reutilização.

Rótulos demais para o que deveria ser apenas uma viagem

Às vezes a gente acaba rotulando tudo, inclusive as viagens. Classificamos viagens como lazer, ecoturismo, compras, vida noturna, romance e etc, quando na verdade viagens são apenas viagens. Viajar é fugir um pouco da realidade. É ir para um lugar novo ou retornar aquele cantinho especial. Sabe?

Um destino, como a Disney, acaba sendo tão rotulado como “ideal para viagens em família” que ir para lá em casal torna-se um absurdo, quando não deveria ser. A mesma coisa acontece com tantos outros lugares.

Tem horas que tudo o que a gente não quer durante uma viagem é seguir o roteiro turístico. Por exemplo, ir para Paris, porém, ao invés de ficar horas no Louvre, passar o dia todo em Montmartre. E quem pode nos culpar por isso? A viagem é nossa e, assim como a vida, as escolhas são nossas.

Aprendi há um tempo que trabalhar com viagens é lidar com os sonhos dos outros. E em matéria de sonhos, não devemos criticar os alheios, mesmo que eles sejam completamente destoante dos nossos.

Se essa minha conhecida está feliz por ter ido passar a lua de mel na Disney, que seja. Fico feliz também. Porque se tem uma coisa que viajar sempre me ensina é abrir a mente, aceitar opiniões diversas e respeitar a escolha do outro. Que essa constante evolução nunca termine.

Imagem destacada: Pixabay – domínio público. 

2 COMENTÁRIOS

  1. HAHAHAHAHAHA vc e seu preconceito! Mas eu sei que um dia iremos lá, nas férias de julho dos nossos filhos… um passeio bem em família q vc vai querer repetir todos os anos hahahahahah amei a leitura. É muito bom refletir e entender que estamos julgando as pessoas (a gente faz isso o tempo todo kkk). Mas é isso, na minha eu vou pra Friburgo (me julgue kkk) não quero sair do quarto mesmo ;x bjs da sua fã nº1 s2

    • Não julgo sua escolha não, amiga! ahahah Vá no friozinho pra Friburgo que você não sairá mesmo do quarto! hehe
      Quanto a levar nossos filhos pra Disney, veremos! ahahaha Um dia admito isso, um dia…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here