“Como é morar em…” é uma nova categoria aqui do blog. O intuito é publicar periodicamente as histórias e dicas de quem decidiu viver em outro país! Esse será um espaço colaborativo, por isso, convidei alguns amigos que foram desbravar novas pátrias para compartilhar suas experiências.

O primeiro deles foi o Renan, que está há três meses longe de casa. Para entender o porquê é só continuar lendo.

Como é morar em Vancouver por Renan

“Oi gente, meu nome é Renan Coutinho, e a pedido da Amanda vim aqui compartilhar um pouco da minha experiência sobre como é viver fora do Brasil. Eu embarquei nessa de forma completamente independente, sem agência, universidade ou proposta de emprego; há 3 meses caiu a ficha, e eu percebi que a vida que estava levando no Rio de Janeiro não era, nem de perto, a que eu sonhava pra mim. Então juntei uma grana, vendi a TV para pagar as passagens, arrumei minha mochila e vim.

Canadá, Brasil e Estados Unidos – os três amores do Renan.

A primeira parada foi na Florida, Estados Unidos, mais precisamente em Tampa. Como sai de casa com pouca grana, preciso trabalhar pra me manter e alimentar nesse sonho, e essa é uma coisa que não falta naquele país, trabalho. Fiquei dois meses por lá, consegui juntar uma grana e vim pra Vancouver, Canadá. E aqui rolou aquele lance de “caraca eu tô apaixonado por essa cidade”, aqui tem tudo que eu sonhava em encontrar numa cidade ideal… O transporte público é incrível, saúde e educação são ótimos, tem um misto maravilhoso entre o urbano e a natureza, e, teoricamente, a melhor parte: a cidade é formada por imigrantes; sim, e eles são de todas as partes do mundo. Tem muito chinês (tipo, muito), mexicano, indiano e por ai vai… A soma cultural e a forma que elas se unem por aqui é lindo de ver. A consequência disso é justamente o respeito pelo diferente.

Vancouver, Canadá

Ser estrangeiro em Vancouver

Vancouver tem uma mente aberta, não só respeita, como valoriza as diferenças. Você não sente um peso por ser “imigrante”, e apesar de complicadas, as formas de legalização são infinitamente maiores do que nos Estados Unidos. Mas como nem tudo são flores, a parte complicada são os preços. É uma cidade cara, com uma taxa de 12% de imposto (na Flórida eram 7%), mas isso é relativo, depende muito do comparativo. Entretanto, se você sonha com tudo que capitalismo/consumismo pode te oferecer, a terra de Trump pode ser uma melhor opção. Haha.
Enfim, estou ha vinte dias aqui, já há três meses longe de casa e a maior certeza que eu tenho foi de ter batido asas.

Eu escrevi tudo bem resumido porque:

(1) quando é muito grande tem gente que não lê,

(2) Amanda me deu um limite. Haha.

Mas se quiserem mais informações sobre essa trip, questões burocráticas – passaporte e vistos –, dúvidas sobre os locais ou só trocar informações mesmo, meu instagram é @renancoutinhop, podem vir bater esse papo, ficarei felizão em poder ajudar.”

E aí, gostaram da ideia?

Quem quiser participar é só enviar um e-mail para contato@asviagensdetrintim.com.br

Todas as fotos do post são de autoria do Renan, outras imagens lindas você encontrará no perfil dele.

4 COMENTÁRIOS

  1. Legal compartilhar experiências, mas o post poderia ser um pouco maior (poxa Amanda rs…).Minha prima está morando na Austrália quem sabe ela tb não queira compartilhar.
    Até acho que por uma questão de SEO os artigos mais longos são melhores ranqueados. Gostei muito do blog! Já está salvo no meu leitor de feed

    • Oi Margarete! Pode deixar, vou colocar textos mais longos nos próximos =) Obrigada pela sugestão. E seria ótimo se sua prima aceitasse participar aqui!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here