Giulianna é uma das minhas melhores amigas. No primeiro semestre de 2017 ela foi morar em Leuven, na Bélgica. Iria para lá participar de um programa de intercâmbio oferecido pela sua universidade na Alemanha. Sim, a Giuli é brasileira-alemã. Nasceu no Rio de Janeiro e mora há muitos anos em Reutlingen.

Como boa amiga que é, ela aceitou participar dessa nova categoria aqui no blog. Abaixo ela conta um pouco da experiência de como é morar em Leuven, na Bélgica.

Foto: Wikimedia Commons

Mas, antes do depoimento da Giuli, é preciso esclarecer um detalhe que ela cita. Em fevereiro de 2017 eu fui visitá-la na cidade. Estava tudo certo para passarmos dias maravilhosos juntas. Porém, como alguns sabem através desse post, eu passei mal.

Fiquei internada no hospital em Leuven e a Giuli, meu anjo da guarda, ficou ao meu lado lá. A viagem, que deveria ser dos sonhos, foi substituída por internação e retorno precoce ao Brasil.

Leia mais: Não existe viagem redonda

Como é morar em Leuven:

“Quando a Amanda me pediu para escrever um texto sobre as minhas experiências no exterior nenhuma de nós duas sabíamos por qual país decidir. Por que? Porque nos meus 21 anos eu cresci na Alemanha, vivi na Dinamarca, Brasil, Alemanha de novo e acabo de voltar da Bélgica.

Além disso, não é tão fácil decidir o que eu sou. Será que eu sou alemã? Ou sou mais brasileira? Eu sou os dois. Me identifico com os dois países. Tenho as duas nacionalidades. Ou seja, escreverei o relato com a visão de uma brasileira-alemã, e não só sobre uma brasileira.

Começarei escrevendo sobre a experiência mais recente. Quinta passada, dia 13 de julho, voltei para casa, em Reutlingen, depois de passar quase seis meses de intercâmbio na Bélgica.

Mas, espera aí! Eu nem me apresentei! Então, eu sou Giulianna, tenho 21 anos, brasileira-alemã. Estudei com a Amanda na faculdade de Relações Internacionais. Também moramos juntas por um tempo. Essa amizade linda já comemora quase 3 anos e meio. Inacreditável? Pois é. Por mais incrível que pareça, nossa amizade só se fortaleceu mais e mais apesar do tempo e da distância física.

Giuli voando por aí… hehe

Agora posso começar! 🙂

Como surgiu o meu intercâmbio na Bélgica?

A minha universidade na Alemanha tem programas diretos com a universidade que eu estudei na Bélgica. Ou seja, eu só precisei mandar minha candidatura para o intercâmbio. Depois de algumas semanas eu soube que tinha sido elegida para ir morar em Leuven, na Bélgica.

Agora é que começa a complicação…. Existem duas Louvanias na Bélgica: a antiga e a nova. A flamenga e a wallonesa. A que fala holandês e a que fala francês.

Eu morei na parte antiga, a flamenga. A mesma que fala holandês. Poderia explicar por horas o porquê dessa diferença e como surgiram duas Louvanias. É uma aula de história aprender sobre a origem dessa região.

Mas, voltando ao meu intercâmbio…. Em fevereiro começou a minha estádia como intercambista em Leuven. Eu morei em uma república de estudantes. Eram 21 quartos no meu andar, todos dividindo uma cozinha, banheiros e duchas.

Logo pude conhecer vários outros intercambistas internacionais e me enturmei bem rápido (quem me conhece sabe que isso não é um milagre). Depois de algum tempo fui conhecendo os belgas. Claro que isso requer um esforço maior do que conhecer os outros intercambistas internacionais, já que os belgas têm seus círculos fechados de amizades e etc.

Mas, quando você faz perguntas, demonstra interesse no assunto, os belgas costumam ser bastante educados e abertos. Sempre falavam inglês comigo e quando pedi para começarem a falar holandês, eles o fizeram de boa. E mesmo assim eu perguntava em inglês quando não entendia algo.

Foto: Wikimedia Commons

O idioma e a dificuldade de comunicação

No meu primeiro dia na Bélgica percebi que até os policiais e o motorista do ônibus falavam inglês. Pela experiência que eu tive com a Amanda no hospital, descobrimos que as enfermeiras e os médicos falam inglês na Bélgica. Ou seja, se for por questões de comunicação, não se preocupe e vá em frente! Conheça a Bélgica e aproveite um pouco desse país pequeno, porém cheio de diversidade.

Poderia escrever por horas e horas sobre como é morar em Leuven. Como cada parte é diferente. Como funciona o país com as três línguas oficiais – holandês, alemão e francês…. Porém, acho que a Amanda me mataria em dobro! Primeiro porque demorei séculos para finalmente escrever esse texto e segundo porque seria longo de mais.

Se quiserem saber mais, me mande uma mensagem! Pode ser através do Facebook: Giulianna Mändle ou Instagram: giuliannalsm. Em breve vocês poderão acompanhar mais posts sobre a Bélgica no meu blog em inglês: www.weltneugierig.wordpress.com

Beijocas Giuli”

E aí, gostaram? Ficou com alguma dúvida? Pode deixar aqui nos comentários que responderemos!

E quem quiser participar do “Como é morar em…” é só enviar um e-mail para contato@asviagensdetrintim.com.br !

Imagem destacada: Wikimedia Commons

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here