ponto onibus uk
Visão do meu quarto para o ponto de ônibus.

Era meu segundo dia em Cambridge, na Inglaterra. Um domingo. Como não conhecia o centro da cidade, resolvi arriscar a conhecê-lo antes do primeiro dia de aula na Kaplan, onde estudei por um mês.

Minha Host Mon me explicou com detalhes o ônibus que eu deveria pegar, onde soltar, qual seria o trajeto e, para minha sorte, o ponto ficava em frente a nossa casa. A única ênfase foi para pressionar o botão stop, com a finalidade de fazer o ônibus parar.

Pois bem, atravessei a rua, olhei o relógio e conferi o itinerário. Ainda faltavam alguns minutos para a chegada do transporte –  na Inglaterra todos os horários são tabelados e, óbvio, tudo muito pontual. Eis que eu começo a procurar pelo bendito botão de stop. Na minha cabeça o ônibus só iria parar no ponto se eu estivesse pressionado esse botão.

ônibus turístico, só para ilustrar que
Ônibus turístico, só para ilustrar que todos são vermelhos.

Rodei o ponto t-o-d-o. Olhei de cima a baixo procurando o botão, por pouco não agachei tentando achá-lo. Como ainda não estava muito confiante no inglês, não conseguia explicar para os dois senhores de idade, que também aguardavam o ônibus, o que eu procurava. Estava quase entrando em colapso sem saber como fazer para sinalizar ao motorista que eu queria embarcar. Passei os angustiantes minutos que sucederam a chegada do ônibus na saga de “cadê o botão?”.

Para minha surpresa, o vermelhinho parou sem eu ter pressionado nenhum stop. Basta ver que tem pessoas aguardando no local demarcado, que o motorista para e aguarda o embarque.

Só depois de entrar e sentar que eu percebi que o botão de stop, na verdade, ficava dentro do ônibus. Era para apertar quando eu quisesse descer, não entrar.

2013-03-02 07.27.47
Ache o stop.

Daquelas histórias de viagem que viram micos inesquecíveis.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here